quinta-feira, 2 de dezembro de 2010

Ilíada e Odisséia

Ilíada e Odisséia são duas epopéias escritas pelo famoso escritor e poeta grego Homero.

Escultura de Homero


Homero viveu por volta do século VIII a.C.,e foi um renomado aedo(poeta que cantava poemas e feitos heróicos na Grécia antiga),tendo como suas principais obras a Ilíada  e a Odisséia.Apesar de a própria existência de Homero ser contestada,devido à grande inexatidão com que é mencionado durante a história(as vezes como indivíduo,as vezes como várias pessoas),Homero fez uma grande contribuição histórica com a Ilíada e a Odisséia,pois ambas são a fonte de vários conhecimentos que temos sobre as tradições e costumes da Grécia antiga,após a invasão de tribos Dóricas.De forma resumida,na Ilíada Homeo narrou um período entre o nono e o décimo ano da guerra de Tróia,que foi iniciada segundo a lenda,com o sequestro de Helena,mulher do Rei grego Menelau,e que terminaria com os gregos vitoriosos.E a Odisséia nos conta as histórias de Ulisses(Odisseu),um famoso herói grego,que volta da guerra de Tróia para sua cidade natal ,Ítaca,e que no caminho sofre inúmeras provações,narradas na epopéia.

Pintura do cavalo de madeira com que os Gregos supostamente teriam invadido a cidade de Tróia.  


 Ambas as epopéias retratam de forma muito fiel os custumes gregos,inclusive a organização social da época,que era feina em genos,ou, grandes famílias que administravam determinada cidade ou região.Além disso,a  própria existência de Tróia foi descoberta através da Ilíada(mesmo que a real existência da cidade seja muito contestada).Boa parte do que sabemos hoje sobre a Grécia após a invasão dórica vem das epopéias homericas.

Críticas do Autor:
Já tendo lido apenas a Odisséia,mas tendo algum conhecimento sobre a Ilíada,tomei a liberdade de escrever sobre estas duas admiráveis epopéias,que não são apenas um passatempo,mas tambem uma ótima fonte de informações sobre a vida na Grécia Antiga.Recomendo a todos aqueles que tenham oportunidade de ler estes livros,que leiam,pois não estarão perdendo nem um segundo de seu tempo,mas sim o usando de forma bastante proveitosa.Esses dois livros tambem nos trazem histórias bastante interessentes,contadas de uma forma um pouco diferentes das atuais(podendo então não agradar a todos os públicos),e muito bem escritas na minha opnião,por isso mais uma vez vos recomendo que os leiam,e que,se possível ,comentem sobre eles aqui no Blog.

12 comentários:

  1. Respostas
    1. Nossa, muito legal esse blog ele esta me cervindo muito. Estou trabalhando em uma pesquisa de história no colégio e esse blog me ajudou! Muito aobrigada a você que criou esse blog, você deve gostar muito de história bjs e um abraço!

      Excluir
  2. mó legal; tive uma pesquisa e este site me ajudou muito :D

    ResponderExcluir
  3. Massa to precisando deswse livro na escola meu;

    ResponderExcluir
  4. Lí os dois livros. No entanto, a Ilíada não nos conta detalhes anteriores à guerra e,a estória se inicia no capítulo relativo à ira de Aquiles.Dessa forma, ela não menciona minucias da contenda entre as deusas Hera, Afrodite e Atena, que desencadeou na guerra de Tróia.
    UM DETALHE: Helena nunca esteve em Tróia. A Helena que assiste as batalhas e que acaricia Páris, não passa de um simulacro criado por Atena. A verdadeira Helena se encontrava a salvo no Egito.
    CONCLUSÃO: OS Deuses fizeram os homens guerrearem e se matarem sem nunhum motivo.

    Antonio Oliveira da Silva

    ResponderExcluir
  5. Nossa eu maei esse seu blog, eu estou trabalhando em uma pesquisa e esse blog me ajudou muito bjs e um abraço!!!

    ResponderExcluir
  6. As duas narrativas legaram às gerações futuras, gregas ou não, aspectos do cotidiano político e social dos gregos da antiguidade ?

    ResponderExcluir
  7. Quais são as melhores versões para as duas obras?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. quais são as duas obras ainda ñ entendir?

      Excluir
    2. Quanto à Odisseia, eu me contentei com a obra dedicada a Homero. Agora, em se falando da Ilíada eu tenho preferencia pelo livro "Tróia", do professor Cláudio Moreno.

      Antonio Oliveira da Silva

      Excluir